⌠ 15 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Fernando Fantin Vono
O Banho da Ninfa
Escrito por Fernando Fantin

Suave, espuma escorrendo, rindo
A água caindo quente e pouca
O corpo arrepiado, os olhos se abrindo
Irritados da espuma, fingindo
Não ver que a olhava, rindo

O cabelo calado, do banho, encobria
O seio nu, arrepia-se, escondido
A dissimulada sorria de novo
Nova espuma nos olhos,
Fingimento antigo, apetecia,
O arrepio espalhava os poros rijos
Delineavam o caminho da espuma
Convergia, tudo converge
O centro, mistério, os pêlos
O púbis
Convergia meu olhar, englobava-o

Nessa altura, abria os olhos, não via
Ria disparatada, nem fingia
Tudo bem? Caçoava
Fininha fitava, despreocupada
Sabia, uma moça sempre sabe,
Era linda.

 

Por Fernando Fantin Vono

Originalmente em:
http://resistenciacotidiana.blogspot.com/2010/08/o-banho-da-ninfa.html