⌠ 38 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Ramon Bernardo
Xadrez com a morte
Escrito por Ramon Bernardo
 
Me causa ânsia. 
Quase libero gofos, enquanto a morte beija-me os pés.
Sinto-me nua, e sem jogadas.
 
Feito carne podre, me jogas contra minhas crenças.
Com seus cavalos e bispos, me envolve e me deixa sem saída.
Ando em círculos.
 
Renego Deus.
Cuspo em sua face. A morte já é bem vinda.
Dou boas vindas á morte em minha alma.
 
Jogada.
Nua, e sozinha.
Perco a noção de tempo.
A dama se aproxima.
 
Já não há mais o que fazer.
Aceito perder, e jogo-me contra mim mesma.
Sou apenas uma jogadora incapacitada.
 
Xeque-mate!
Morte.
 
 
(Obs: Poema inspirado no épico, "O sétimo selo", filme conceituado e maravilhosamente bem escrito e dirigido.)