⌠ 15 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Fernando Fantin Vono
As árabias e as quantitativas mortes árabes
Escrito por Fer

alt

Imagem retirada de http://correiodobrasil.com.br/israelenses-abrem-fogo-contra-manifestantes-e-matam-13-palestinos/240346/

 

Tantos acontecimentos que se deram nessas últimas semanas que mereciam um comentário, uma análise que pudesse desvendar, li recentemente uma frase num e-mail, cujo autor desconheço, que calha para as ocasiões,
 
“Nas últimas semanas beatificamos um papa, casamos um príncipe, fizemos uma cruzada e matámos um mouro... Bem-vindos à Idade Média!” E de fato, pouco se tem que explicar, de tão óbvio que seja, o mundo é ainda medieval, e os donos das armas e da verdade, ainda têm direito a fazer quantas cruzadas bem entenderem.
 
Mas quando é que iremos obter a resposta crucial, quantos árabes são necessários para pagar pelos 3.000 estanunidenses mortos nas torres. Estima-se que já vai para a casa do milhão o número de mortos no Afeganistão, Iraque e Paquistão desde 2001. Minha pequena matemática das operações básicas diz que a conta vai dar 333,33333... (como se a pessoas se pudesse dividir, talvez com bombas?) árabes para 1 estadunidense, o que indica que a matança ainda deve durar, visto que essa estatística chega a ser miserável para um povo que tem por herói o Rambo e o Exterminador do Futuro.
 
Mas é tudo uma questão de nomes. Meter um avião nas torres gêmeas e matar 3.000 capitalistas “inocentes” é terrorismo, invadir território alheio, com ou sem consentimento da ONU (o que não quer dizer lá muita coisa) matar supostos terroristas (segundo a Wikileaks, 63% dos mortos no Iraque até 2009 eram civis) com mísseis, tropas e aviões não-tripulados é guerra.... “e o Oscar vai para...GUERRA AO TERROR”.
 
Mas para sermos atuais, na velocidade que a contemporaneidade pede, vamos falar das últimas notícias, dia 16/04/2011, fonte Blog do Mello, tropas israelenses atiram contra palestinos que protestam nas fronteiras do Líbano, Síria e Gaza, 13 palestinos morrem e 82 ficam feridospara “prevenir” (a palavra é essa mesmo) que os palestinos entrassem em território judaico, já diz a sabedoria popular, melhor prevenir que remediar. Em 22/03 desse mesmo ano. aeronaves israelenses mataram 4 pessoas, sendo 2 crianças e feriram outras 4 em represália a morteiros disparados contra Israel, segundo a BBC. Mas são meras notícias por aqui, e vamos com calma que chamar o estado de Israel de Assassino é visto como anti-semitismo.
 
Além do mais, não há novidade nenhuma em falar de estadunidenses e israelenses matando árabes. O que preocupa, é a consciência que o povo árabe está tomando, e a práxis revolucionária de um povo querer escrever a própria história.
 
Aguardemos o que está por vir, mas adiante-se já, não são tempos de paz. Mas o mais importante, que torna o Bin Laden herói entre os anti-heróis, derrubou um símbolo, o maior símbolo do capitalismo, no espaço aéreo mais vigiado do mundo. Outras coisas podem cair também, principalmente hegemonias.
 
 
Por Fernando Fantin Vono