⌠ 26 avaliações para a publicação abaixo ⌡
Deni Mazur
Pin Duramos
Escrito por Deni

Era um gigante, chamavam-no Pindorama, um dia ele sentou contemplando o horizonte, ficou parado durante anos, mexia-se apenas quando uma tempestade ou outra o incomodava. Os anos passaram, conforme as tribos ao redor daquele gigante mudavam, também mudava seu nome, recentemente Pindorama resolveu alongar-se, conseguiu chamar a atenção de alguns outros gigantes, maiores que ele por sinal, por conta dos movimentos inusitados algumas, dessas mudanças puderam ser vistas de longe.

No entanto algo em Pindorama não mudou, uma coisa que mesmo que desse para ver, não seria possível notar diferença, seu cérebro, na verdade até atrofiou um pouquinho, alguns pássaros que fizeram ninhos sobre a cabeça de Pindorama começaram a cobrir algumas partes do corpo do gigante, que por conta da falta de uso do cérebro, começaram a apodrecer, mas os outros seres alados que moram mais embaixo começaram a se incomodar com o mal cheiro daquilo, bateram as asas para que o cheiro se espalhasse e os outros gigantes percebessem que Pindorama já havia falecido há algum tempo.

Os pássaros superiores, temendo que sua morada fosse incendiada para evitar que doenças se propagassem, começaram com artifícios para enganar os vizinhos, dizendo que o mal-cheiro era culpa dos pássaros inferiores, e que deveria ser relevado, pois logo o cheiro sumiria.

Por hora essa mentira tem sido engolida, mas as ataduras já não se sustentam, o cérebro já cansado, e sem manutenção há muito tempo, entrou em crise, e o mal-cheiro não quer passar, os outros gigantes combinaram de visitar Pindorama dentro de alguns anos, veremos se até lá as ataduras se sustentam e o mal-cheiro consegue ser vedado, mas ao que tudo indica Pindorama será incinerado até não sobrarem nem os ossos de sua grandeza.